Residência polêmica em NY

Projeto que Banksy desenvolve na cidade gera reações apaixonadas da população

iG Minas Gerais |

undefined
Famoso por manter sua identidade em segredo e pelo humor crítico, Banksy iniciou em 1º de outubro o projeto Better Out Than In, uma residência de um mês em Nova York. A cada dia, uma nova obra aparece em algum canto da cidade, atraindo pequenas multidões de fãs e provocando reações apaixonadas. Fotos e vídeos dos trabalhos são postados diariamente no site do artista. No domingo, a figura de um menino segurando um martelo desenhada em uma parede do Upper West Side sofreu uma tentativa de depredação poucas horas depois de descoberta. O ataque foi impedido por passantes do local. No Brooklyn, uma porta de ferro foi colocada em frente à parede com um grafite de Banksy, que havia sido depredado e, posteriormente, restaurado. Nessas três semanas em Nova York, o artista conquistou admiradores e inimigos. Mesmo quando não provocam respostas tão extremas, suas obras nunca são recebidas com indiferença. Desde a semana passada, um caminhão de entrega de matadouro repleto de animais de pelúcia circula por diversos bairros, surpreendendo pedestres e motoristas. No último dia 13, Banksy instalou uma barraca no Central Park e vendeu suas obras por US$ 60 cada. Sem perceber que se tratavam de originais, avaliados em milhares de dólares, poucos se interessaram. Em Chelsea, Banksy criou uma “galeria de arte” ao ar livre, com direito a segurança, banco e bebidas, para expor dois quadros feitos em colaboração com a dupla de grafiteiros brasileiros Osgemeos – esta foi, aliás, a primeira obra feita em parceria durante a residência de Banksy em Nova York.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave