Líderes reunidos em Londres afirmam que Assad não terá qualquer papel no futuro

Grupo integrado por 11 países ocidentais e membros da Liga Árabe, reuniu-se nesta terça-feira na capital britânica com os líderes da oposição síria

iG Minas Gerais | da redação |

O grupo Amigos da Síria, reunido nesta terça-feira (22) em Londres, decidiu que o presidente Bashar Al Assad não poderá ter “qualquer papel em um futuro governo” do país, disse o ministro dos Negócios Estrangeiros do Reino Unido e anfitrião do encontro, William Hague. O grupo, integrado por 11 países ocidentais e membros da Liga Árabe, reuniu-se nesta terça-feira na capital britânica com os líderes da oposição síria, incluindo o representante máximo da Coligação Nacional Síria (CNS), Ahmad Jarba, para convencê-los a participar da conferência de paz prevista para novembro em Genebra. Em entrevista coletiva após a reunião, Hague informou que a decisão final do encontro teve aprovação geral. “Por definição, ‘aprovação geral’ significa que este acordo só poderá ser concebível com o consentimento da Coligação Nacional Síria. Assim, Assad não irá desempenhar qualquer papel no futuro governo da Síria”, explicou o ministro britânico. No comunicado final da reunião, o grupo Amigos da Síria reiterou que o acordo estabelece que "Assad e seus colaboradores, que têm sangue nas mãos, não terão qualquer papel na Síria”. No texto, Assad e os colaboradores são responsabilizados pelos atos cometidos durante o conflito. Hague ressaltou ainda que não haverá solução política e pacífica na Síria sem a participação de uma oposição moderada. “Apesar dos enormes desafios que a oposição enfrenta, exortamos a Coligação Nacional Síria a comprometer-se inteiramente com o processo de Genebra [conferência de paz] e a liderar e formar uma delegação da oposição”, concluiu o ministro britânico. O conflito na Síria, que passou de dois anos e meio, já fez mais de 110 mil mortos, 2 milhões de refugiados e 4 milhões de deslocados, conforme dados da Organização das Nações Unidas (ONU).  

Leia tudo sobre: reuniãocúpulafuturosírioassadbashar al assadpresidentegovernoexcluído