Bilhões de reais por área que já foi sua

iG Minas Gerais |

A Petrobras terá de desembolsar pelo menos R$ 4,5 bilhões em bônus de assinatura por uma área que já lhe pertenceu, segundo informou ontem a agência de notícias Reuters. Limitações na exploração do bloco BS-4, na Bacia de Santos, levaram a anglo-holandesa Shell, a Petrobras e a norte-americana Chevron a devolver uma área em que, justamente, seria descoberto o gigante prospecto de Libra, nove anos depois, segundo a Reuters. “O poço 1-SHELL-5-RJS, fechado e abandonado, está dentro dos limites da área que será licitada pelo governo”, diz a reportagem, que se baseou em relatório sobre Libra elaborado pela consultoria americana IHS Cera, que tem o maior banco de dados de petróleo no mundo. “Sob operação da Shell, o poço foi perfurado em 2001 muito próximo ao poço da ANP, que nove anos mais tarde descobriria Libra.” O relatório da IHS Cera obtido pela Reuters aponta que o poço da Shell atingiu uma profundidade total de quase 4.000 metros, enquanto o poço descobridor de Libra, anos depois, chegou a 6.000 metros. Uma fonte com conhecimento direto do assunto disse à Reuters que a Shell não atingiu o objetivo de profundidade que seria necessário no BS-4 porque usou equipamento inadequado. (Da Redação)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave