Prefeito e vice de Oliveira têm mandatos cassados por compra de votos

Os dois estão inelegíveis e terão que pagar multa de R$ 1.064 cada, decisão é de primeira instância e cabe recurso

iG Minas Gerais | Fernanda Viegas |

O prefeito e o vice da cidade de Oliveira, na região Centro-Oeste de Minas Gerais, tiveram os seus mandatos cassados na tarde desta segunda-feira (21). A decisão foi tomada pelo juiz eleitoral Adelardo Franco de Carvalho Júnior, em favor do Ministério Público Eleitoral contra o prefeito João Batista de Souza, conhecido como “João da Madalena” (PTB) e o vice-prefeito Salatiel Alvim Lobato, o “Tiel” (PTB). Os políticos são acusados de praticar abuso de poder econômico, consistente na compra de votos. Segundo a acusação, a dupla fazia distribuição de cestas básicas, material de construção e de combustíveis. Além disto, efetuavam pagamentos de contas de luz e de consultas médicas e também distribuíam dinheiro e cheques. Durante o processo de investigação, foi realizada a quebra do sigilo telefônico e foi possível comprovar irregularidades. Prefeito e vice estão inelegíveis e terão que pagar multa de R$ 1.064 cada. A decisão é de primeira instância e cabe recurso. Prefeito e vice não foram encontrados para comentar a determinação judicial. A assessoria da prefeitura de Oliveira informou que Souza e Lobato irão recorrer da decisão. Além disso, contou que os dois ainda não receberam notificação oficial sobre a cassação. Caso Souza e Lobato percam os mandatos, os segundos colocados nas eleições municipais de 2012 irão assumir: prefeito Kilder Richard Pinheiro (PT) e vice-prefeita Aparecida Maria das Dores Rafael (PT).